Você está aqui Exercícios Exercícios de História Exercícios sobre Teóricos do absolutismo

Exercícios sobre Teóricos do absolutismo

Os teóricos do Absolutismo foram os pensadores que pretenderam legitimar a existência dos Estados nacionais em processo de formação durante a Idade Moderna.

  • Questão 1

    (Enem – MEC)

    I. Para o filósofo inglês Thomas Hobbes (1588-1679), o estado de natureza é um estado de guerra universal e perpétua. Contraposto ao estado de natureza, entendido como estado de guerra, o estado de paz é a sociedade civilizada.

    Dentre outras tendências que dialogam com as ideias de Hobbes, destaca-se a definida abaixo.

    II. Nem todas as guerras são injustas e, correlativamente, nem toda paz é justa, razão pela qual a guerra nem sempre é um desvalor, e a paz nem sempre um valor.

    BOBBIO, N. MATTEUCCI, N. e PASQUINO, G. Dicionário de Política. 5ed. Brasília: Universidade de Brasília. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2000.

    Comparando as ideias de Hobbes (texto I) com a tendência citada no texto II, pode-se afirmar que:

    a) em ambos, a guerra é entendida como inevitável e injusta.

    b) para Hobbes, a paz é inerente à civilização e, segundo o texto II, ela não é um valor absoluto.

    c) de acordo com Hobbes, a guerra é um valor absoluto e, segundo o texto II, a paz é sempre melhor que a guerra.

    d) em ambos, a guerra ou a paz são boas quando o fim é justo.

    e) para Hobbes, a paz liga-se à natureza e, de acordo com o texto II, à civilização.

     

    ver resposta



  • Questão 2

    (FGV-SP) “Daqui nasce um dilema: é melhor ser amado que temido, ou o inverso? Respondo que seria preferível ser ambas as coisas, mas, como é muito difícil conciliá-las, parece-me muito mais seguro ser temido do que amado, se só se pode ser uma delas [...]”

    MAQUIAVEL, N. O príncipe. Ed. Europa-América, 1976. p. 89.

    A respeito do pensamento político de Maquiavel, é correto afirmar que:

    a) Mantinha uma nítida vinculação entre a política e os princípios morais do cristianismo.

    b) Apresentava uma clara defesa da representação popular e dos ideais democráticos.

    c) Servia de Base para a ofensiva da Igreja em confronto com os poderes civis na Itália.

    d) Sustentava que o objetivo de um governante era a conquista e a manutenção do poder.

    e) Censurava qualquer tipo de ação violenta por parte dos governantes contra seus súditos.

    ver resposta


  • Questão 3

      “O trono real não é o trono de um homem, mas o trono do próprio Deus. [...] Três razões fazem ver que este governo [o da monarquia hereditária] é o melhor. A primeira é que é o mais natural e se perpetua por si próprio [...] A segunda razão [...] é que esse governo é o que interessa mais na conservação do Estado e dos poderes que o constituem: o príncipe, que trabalha para seu estado, trabalha para seus filhos, e o amor que tem pelo seu reino, confundindo com o que tem por sua família, torna-se-lhe natural [...]. A terceira razão tira-se da dignidade das casas reais [...]. A inveja, que se tem naturalmente daqueles que estão acima de nós, torna-se aqui em amor e respeito; os próprios grandes obedecem sem repugnância a uma família que sempre viram como superior e à qual se não conhece outra que a possa igualar.”

    As ideias presentes no texto acima podem ser associadas à qual teórico?

    a) Jacques Bossuet, teórico do absolutismo francês que divergia da Teoria do Contrato Social.

    b) Nicolau Maquiavel, italiano que defendia valores como virtude e fortuna para a manutenção do poder do príncipe.

    c) Thomas Hobbes, inglês que defendia que a sociedade civil deveria se organizar politicamente para sair do estado de natureza, associada à guerra.

    d) Hugo Grotius, que preconizava a existência de um Estado forte para controlar a sociedade civil.

    ver resposta


  • Questão 4

    Os teóricos do absolutismo, geralmente, ou teciam suas perspectivas com base em experiências e conflitos vividos no interior de determinadas monarquias ou legitimavam o poder real por meio de uma análise comparativa entre as diferentes formas de governo já experimentadas. Nesse sentido, Nicolau Maquiavel escreveu seu livro mais famoso, O príncipe, dedicado a:

    a) Luís XI, rei da França.

    b) Henrique VIII, Rei da Inglaterra.

    c) Fernando, rei de Espanha.

    d) Lorenzo de Médici, estadista florentino.

    e) D. João III, rei de Portugal.

    ver resposta


Respostas

  • Resposta Questão 1

    Letra B. Hobbes contrapõe dois termos antagônicos, a guerra e a paz, aos dois estados do ser humano, respectivamente, o estado de natureza e a sociedade civilizada. Porém, o texto II coloca a guerra ou a paz não como termos absolutos, podendo haver injustiça na paz e justiça na guerra.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 2

    Letra D. Maquiavel defendia a utilização de vários recursos de coerção para a conquista e manutenção do poder, garantindo ser esse meio mais eficaz que o sentimento de amor que poderia ter a população para com seu rei.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 3

    Letra A. Bossuet defendia que os reis tinham um direito divino de ocupar os tronos das monarquias nacionais, além do fato de serem a expressão mais perfeita da autoridade delegada por Deus.

    Referência do Texto: BOSSUET, J. A política inspirada na Sagrada Escritura. In: FREITAS, G. 900 textos e documentos de história. Lisboa, Plátano, 1997.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 4

    Letra D. Maquiavel fez a dedicatória a Lorenzo de Médici como orientação para seu governo a partir de reflexões sobre diversas experiências de governo existentes.

    voltar a questão


Artigo relacionado
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas