Você está aqui Exercícios Exercícios de História Exercícios sobre o Mundo Árabe

Exercícios sobre o Mundo Árabe

Nestes exercícios sobre o Mundo Árabe, é possível testar seus conhecimentos sobre aspectos da cultura, religião e política árabes.

  • Questão 1

    (Puccamp) Para compreender a unificação religiosa e política da Arábia por Maomé, é necessário conhecer:

    a) a atuação das seitas religiosas sunita e xiita, que contribuíram para a consolidação do Estado teocrático islâmico.

    b) os princípios legitimistas obedecidos pela tribo coraixita, da qual fazia parte.

    c) os fundamentos do sincretismo religioso que marcou a doutrina islâmica.

    d) as particularidades da vida dos árabes nos séculos anteriores ao surgimento do islamismo.

    e) a atuação da dinastia dos Omíadas que, se misturando com os habitantes da região do Maghreb, converteram-se à religião muçulmana e passaram a ser chamados de mouros.

    ver resposta



  • Questão 2

    (UFPE) A expansão muçulmana atingiu territórios da Europa, contribuindo para a divulgação de hábitos culturais que marcaram a formação histórica da Península Ibérica. Além disso, mudou as relações comerciais da época. Em relação a outros povos e à Igreja Católica, os muçulmanos:

    a) mantiveram, ao longo de sua história, uma tradição de total tolerância religiosa.

    b) eram temidos, em razão do seu grande poderio militar.

    c) mantiveram uma convivência sem choques culturais, revelando-se, no entanto, intolerantes com os judeus.

    d) foram intolerantes e violentos, não assimilando as culturas adversárias.

    e) só eram temidos em Portugal, pelos cristãos e pelos judeus, sendo bem aceitos na Espanha.

    ver resposta


  • Questão 3

    Leia o texto a seguir: “[...] O Alcorão ordena: “Não geres confusão na terra após este justo comando.” Quando diz também que a terra e tudo o que nela existe é criada para nosso uso, isto não implica uma transferência de propriedade; é uma incumbência a nós delegada, e respondemos perante o “Senhor de todas as coisas” pelo nosso ministério. O muçulmano é constantemente relembrado, quer no Alcorão, quer nos ditos preservados do Profeta, que a ganância e o desperdício estão entre os maiores pecados. Podemos usar aquilo que nos é disponibilizado para o nosso sustento, mas nada mais; e mesmo esse pouco não é mais do que um roubo se abandonamos a nossa função humana e decidimos renunciar a oração universal que transporta toda a criação de novo para a sua origem.” (Conceição, Miguel. O protesto da terra. In: Sabedoria Perene.)

    Partindo do que está exposto no texto, indique a alternativa INCORRETA:

    a) Os “outros ditos preservados do profeta”, aos quais o texto se refere, podem ser encontrados em livros como a Suna.

    b) O islamismo rejeita o desperdício e a ganância por serem, além de tudo, pecado.

    c) O texto sugere que o islâmico leva em conta uma espécie de comunhão entre a ação humana e os bens naturais que lhe foram dados por Deus.

    d) O texto acentua o fato de que o mau uso humano da terra e dos bens naturais é mais grave que um roubo.

    e) O Alcorão, segundo o texto, sugere a reforma agrária e a distribuição de terras entre os muçulmanos.

    ver resposta


  • Questão 4

    Leia o texto a seguir: “A gente tem vontade de perder-se em As mil e uma noites, pois sabe que, se entrar nesse livro, é capaz de esquecer nosso pobre destino humano. […] No título de As mil e uma noites existe algo muito importante: a sugestão de que se trata de um livro infinito. E ele é, virtualmente. Os árabes dizem que ninguém pode ler As mil e uma noites até o fim. Não por tédio, mas porque se sente que o livro é infinito. […]”. BORGES, Jorge Luís. Sete noites. São Paulo: Max Limonad, 1983, p. 71-85.

    De acordo com o texto, é possível afirmar que:

    a) o livro As mil e uma noites é um dos mais confusos livros de literatura já escritos, já que o leitor “se perde” ao lê-lo.

    b) os árabes não se acostumaram com o livro As mil e uma noites, por isso não conseguem lê-lo até o fim.

    c) a riqueza do livro As mil e uma noites está no fato de ele ser infinito, no sentido de oferecer leituras ilimitadas sobre os temas de que trata.

    d) os árabes julgam que As mil e uma noites é uma obra de boa qualidade por ter sido escrita por chineses.

    e) o autor, Jorge Luís Borges, abomina As mil e uma noites, pois é um livro infinito.

    ver resposta


Respostas

  • Resposta Questão 1

    Letra D

    A questão refere-se ao processo de unificação islâmica sob a liderança do profeta Maomé, e não sobre o processo de expansão, que veio logo depois. Então, a única alternativa que aponta para a situação dos povos árabes antes do islamismo é a letra D.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 2

    Letra B

    Com a expansão islâmica em direção ao sul da Europa, durante o século VII, sobretudo na Península Ibérica, o confronto entre árabes e cristãos foi inevitável, com grande atrito por questões religiosas tanto em Portugal quanto na Espanha – haja vista que esses dois países só se tornaram unificados durante a luta contra os muçulmanos. Sendo assim, a alternativa correta é a B.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 3

    Letra E

    O Alcorão não possui nenhuma sugestão semelhante ao projeto de Reforma Agrária, que é típico das propostas políticas feitas no Ocidente. O objetivo da sentença corânica abordada por Miguel Conceição no texto da questão é ressaltar a harmonia que deve haver entre o homem (e suas ações) e os bens que Deus lhe deu. Portanto, a alternativa incorreta é a E.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 4

    Letra C

    O escritor argentino Jorge Luís Borges era profundamente influenciado e inspirado por literatura árabe e, nesse texto, evidencia a dimensão da grandeza e da importância do clássico As mil e uma noites para a literatura universal. O adjetivo “infinito”, empregado no texto, só torna mais clara essa evidência. Portanto, a alternativa correta é a letra C.

    voltar a questão


Artigo relacionado
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas