Você está aqui Exercícios Exercícios de História do Brasil Exercícios sobre o golpe do Estado Novo

Exercícios sobre o golpe do Estado Novo

Com o Estado Novo, Getúlio Vargas assumia ditatorialmente o Poder Executivo Federal, mantendo um governo autoritário e centralizador por quase oito anos.

  • Questão 1

    (Enem) O autor da constituição de 1937, Francisco Campos, afirma no seu livro, O Estado Nacional, que o eleitor seria apático; a democracia de partidos conduziria à desordem; a independência do Poder Judiciário acabaria em injustiça e ineficiência; e que apenas o Poder Executivo, centralizado em Getúlio Vargas, seria capaz de dar racionalidade imparcial ao Estado, pois Vargas teria providencial intuição do bem e da verdade, além de ser um gênio político.

    CAMPOS, F. O Estado nacional. Rio de Janeiro: José Olympio, 1940 (adaptado).

    Segundo as ideias de Francisco Campos,

    a) os eleitores, políticos e juízes seriam mal-intencionados.

    b) o governo Vargas seria um mal necessário, mas transitório.

    c) Vargas seria o homem adequado para implantar a democracia de partidos.

    d) a Constituição de 1937 seria a preparação para uma futura democracia liberal.

    e) Vargas seria o homem capaz de exercer o poder de modo inteligente e correto. 

    ver resposta



  • Questão 2

    A partir de 1942 e estendendo-se até o final do Estado Novo, o Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio de Getúlio Vargas falou aos ouvintes da Rádio Nacional semanalmente, por dez minutos, no programa “Hora do Brasil”. O objetivo declarado do governo era esclarecer os trabalhadores acerca das inovações na legislação de proteção ao trabalho.

    GOMES, A. C. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: IUPERJ / Vértice. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1988 (adaptado).

    Os programas “Hora do Brasil” contribuíram para:

    a) conscientizar os trabalhadores de que os direitos sociais foram conquistados por seu esforço, após anos de lutas sindicais.

    b) promover a autonomia dos grupos sociais, por meio de uma linguagem simples e de fácil entendimento.

    c) estimular os movimentos grevistas, que reivindicavam um aprofundamento dos direitos trabalhistas.

    d) consolidar a imagem de Vargas como um governante protetor das massas.

    e) aumentar os grupos de discussão política dos trabalhadores, estimulados pelas palavras do ministro.

    ver resposta


  • Questão 3

    Leia o texto abaixo:

    “Havia traços comuns entre a corrente autoritária e o integralismo totalitário, mas eles não eram idênticos. O integralismo pretendia alcançar seus objetivos através de um partido que mobilizaria as massas descontentes e tomaria de assalto o Estado. A corrente autoritária não apostava no partido, e sim no Estado; não acreditava na mobilização em grande escala da sociedade, mas na clarividência de alguns homens. Para ela, no limite, um partido fascista levaria à crise do Estado; o estadismo autoritário, ao contrário, conduziria ao seu reforço.”

    FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 1995.

    Na opinião do historiador Boris Fausto havia uma importante diferença entre as correntes fascistas e o estadismo autoritário que disputavam o cenário político brasileiro na década de 1930. Uma consequência dessa diferença foi:

    a) a repressão de Vargas à Intentona Integralista.

    b) a repressão de Vargas à Intentona Comunista.

    c) o apoio de Vargas ao PCB.

    d) o estímulo de Vargas à realização de eleições.

    e) o estímulo de Vargas à constituição de sindicatos autônomos em relação ao Estado.

    ver resposta


  • Questão 4

    O perigo da ascensão do comunismo e das demais forças de esquerda foi um dos principais argumentos utilizados por Getúlio Vargas e seus apoiadores para realizar o Golpe do Estado Novo em novembro de 1937, situação que garantiria a desmobilização dessas forças e o extermínio desse perigo à sociedade brasileira. Entretanto, para conseguir criar uma situação favorável ao golpe, foi denunciada uma tentativa de tomada de poder por parte dos comunistas, que estavam amparados pela URSS, e que ficou conhecida através de um documento conhecido como:

    a) Plano de Metas.

    b) Plano Salte.

    c) Plano Lafer.

    d) Plano Cohen.

    e) Plano Futuro.

    ver resposta


Respostas

  • Resposta Questão 1

    Letra E. O objetivo de Francisco Campos com seu livro e com a Constituição de 1937 era justificar e legitimar legislativamente o poder autoritário de Vargas. Denotava uma clara influência fascista na elaboração da Constituição, já que pretendia abolir os princípios do liberalismo político e centralizar em uma única pessoa o poder de Estado.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 2

    Letra D. As demais estão incorretas por: a) referir-se a conquistas por meio de lutas sindicais, o que não ocorreu pelo atrelamento do sindicato ao Estado; b) não havia interesse em promover a autonomia dos trabalhadores, mas sim controlar suas atividades; c) não estímulo às greves, mas sua repressão; e) não havia interesse em estimular discussões políticas, o que poderia levar a críticas ao regime.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 3

    Letra A. Apesar de terem apoiado o Golpe do Estado Novo, os integralistas viram-se alijados do poder, em razão de uma perspectiva distinta de ação política por parte de Vargas. O então ditador era defensor de muitas ideias oriundas do fascismo italiano e do nazismo, mas a situação política brasileira levou-o a se afastar dos integralistas.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 4

    Letra D. O Plano Cohen foi um documento falso, produzido por um suposto militante comunista e judeu, que, apoiado pela URSS, tomaria o poder no Brasil.

    voltar a questão


Artigo relacionado
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas