Você está aqui Exercícios Exercícios de Gramática Exercícios sobre figuras de linguagem

Exercícios sobre figuras de linguagem

Estes exercícios sobre figuras de linguagem testarão seus conhecimentos sobre esses interessantes recursos expressivos da língua nos diferentes gêneros textuais.

  • Questão 1

    (ENEM-2004)


    As figuras de linguagem são comumente encontradas nos textos literários, bem como em charges e tirinhas

    Nessa tirinha, a personagem faz referência a uma das mais conhecidas figuras de linguagem para

    a) condenar a prática de exercícios físicos.

    b) valorizar aspectos da vida moderna.

    c) desestimular o uso das bicicletas.

    d) caracterizar o diálogo entre gerações.

    e) criticar a falta de perspectiva do pai. 

    ver resposta



  • Questão 2

    (ENEM-2004)

    Cidade grande

    Que beleza, Montes Claros.
    Como cresceu Montes Claros.
    Quanta indústria em Montes Claros.
    Montes Claros cresceu tanto,
    ficou urbe tão notória,
    prima-rica do Rio de Janeiro,
    que já tem cinco favelas
    por enquanto, e mais promete.

    (Carlos Drummond de Andrade)

    Entre os recursos expressivos empregados no texto, destaca-se a

    a) metalinguagem, que consiste em fazer a linguagem referir-se à própria linguagem.

    b) intertextualidade, na qual o texto retoma e reelabora outros textos.

    c) ironia, que consiste em se dizer o contrário do que se pensa, com intenção crítica.

    d) denotação, caracterizada pelo uso das palavras em seu sentido próprio e objetivo.

    e) prosopopéia, que consiste em personificar coisas inanimadas, atribuindo-lhes vida.

    ver resposta


  • Questão 3

    Ainda que eu falasse a língua dos homens
    e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.

    É só o amor, é só o amor;
    Que conhece o que é verdade;
    O amor é bom, não quer o mal;
    Não sente inveja ou se envaidece.

    O amor é o fogo que arde sem se ver;
    É ferida que dói e não se sente;
    É um contentamento descontente;
    É dor que desatina sem doer.

    Ainda que eu falasse a língua dos homens
    e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.

    É um não querer mais que bem querer;
    É solitário andar por entre a gente;
    É um não contentar-se de contente;
    É cuidar que se ganha em se perder;

    É um estar-se preso por vontade;
    É servir a quem vence, o vencedor;
    É um ter com quem nos mata a lealdade;
    Tão contrário a si é o mesmo amor.

    Estou acordado e todos dormem todos dormem, todos dormem;
    Agora vejo em parte, mas então veremos face a face.

    É só o amor, é só o amor;
    Que conhece o que é verdade.

    Ainda que eu falasse a língua dos homens
    e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.

    (Monte Castelo, Renato Russo. Do álbum As quatro estações, Legião Urbana)

    Analisando a letra da música Monte Castelo, pode-se afirmar que a figura de linguagem predominante é:

    a) Metonímia.

    b) Paradoxo.

    c) Antítese.

    d) Prosopopeia.

    e) Hipérbole.

    ver resposta


  • Questão 4

     Relacione as definições abaixo com as figuras de linguagem:

    ( ) Figura de linguagem em que se emprega um sentido incomum para uma palavra a partir de uma relação de semelhança entre dois termos.

    ( ) Figura de linguagem que consiste em expressar uma ideia com exagero, a fim de enfatizá-la ou destacá-la.

    ( ) Figura de linguagem que consiste no emprego de uma palavra por outra, com a qual tem uma relação de interdependência, proximidade.

    ( ) Figura de linguagem que consiste em atribuir características humanas a seres inanimados ou irracionais.

    ( ) Figura de linguagem que consiste no emprego de palavra ou expressão agradável para amenizar uma ideia desagradável ou grosseira.

    ( ) Figura de linguagem que consiste em aproximar dois termos a partir de uma característica comum. Faz uso de conectivos: como, tal qual, que nem etc.

    1. Eufemismo.

    2. Metáfora.

    3. Comparação.

    4. Prosopopeia ou personificação.

    5. Hipérbole.

    6. Metonímia

    a) 6 – 4 – 2 – 1 – 3 – 5

    b) 5 – 6 – 1 – 2 – 3 – 4

    c) 2 – 5 – 6 – 4 – 1 – 3

    d) 2 – 6 – 5 – 4 – 1 – 3

    e) 1 – 2 – 6 – 5 – 4 – 3

    ver resposta


Respostas

  • Resposta Questão 1

    Alternativa “e”. Para a personagem, a bicicleta que nunca sai do lugar estabelece um ponto de intersecção com o comportamento do pai. O sentido metafórico reside aí, pois o menino estabeleceu uma analogia entre a bicicleta e o pai, que se esforça, mas parece não conseguir atingir seus objetivos.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 2

    Alternativa “c”. Em uma primeira leitura, temos a impressão de que o poeta faz elogios ao progresso da cidade mineira de Montes Claros. Contudo, observando certos elementos presentes no texto, é possível verificar que Drummond usou como principal figura de linguagem a ironia, sobretudo quando sinaliza que a riqueza e o progresso de Montes Claros indicam a expansão da miséria e da degradação social, situação encontrada nas favelas cariocas. Dessa forma, nota-se que o elogio é, na verdade, uma nítida crítica construída por meio da ironia.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 3

     Alternativa “b”. No paradoxo, temos a concomitância de significados excludentes. A música "Monte Castelo", do grupo Legião Urbana, é um bom exemplo. O poema de Luís de Camões incorporado à música Monte Castelo traz elementos opostos ao falar de um “contentamento descontente”, “ferida que dói e não se sente”, “dor que desatina sem doer”, “cuidar que se ganha em se perder” etc. Há quem confunda antítese com paradoxo. A diferença reside, entretanto, na maneira como esses opostos se relacionam. Na antítese, temos duas teses contrárias, antônimas. Exemplo: “Estou acordado e todos dormem, todos dormem, todos dormem”.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 4

    Alternativa “c”

    voltar a questão


Artigo relacionado
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas